O melhor do mundo

O melhor do mundo

Alguns dias atrás um amigo me mandou o link de um blog de estudantes da Unicamp. A matéria era descontraída, com desenhos no estilo “meme”, e o conteúdo muito inteligente.

Desde que li aquele texto, minha cabeça insiste em pensar sobre o assunto, reaplicando conceitos da PNL à diversas áreas da vida. Então resolvi escrever este post para ajudar de muitas formas os leitores.

Por muitas e muitas gerações a preocupação de uma pessoa era trabalhar duro para sobreviver e possivelmente descansar ao fim da vida. Esta história vem de antes da idade média. Estas pessoas acreditavam que haviam nascido para trabalhar e “sofrer” e nunca iriam prosperar ou crescer.

Esta corrente de pensamento foi quebrada com a chegada do capitalismo, onde as pessoas poderiam acumular bens e crescer independente de condições anteriores, então as pessoas passaram a sonhar em juntar um dinheirinho para sua aposentadoria tranquila. E foi nesta cultura que nossos pais nasceram e cresceram, eles foram ensinados a não sonhar muito alto, apenas viver e juntar um dinheirinho para se aposentar. Estes pais iam crescendo quando um outro evento ocorreu: a globalização (moderna).

A receita capitalismo + globalização resulta em sucesso, oportunidades e crescimento. E assim muita gente cresceu, e mais do que sonhava. A PNL  nos mostra como aprendemos com as situações que vivemos e a forma como ela aparenta aos nossos sentidos. E foi isso que moldou nossos pais, a aparência que com pouco esforço eles cresceram e seu único freio foram seus sonhos. Eles conheciam histórias de pessoas que eram especiais e saiam do nada e cresciam muito, logo em sua mente afixou-se que por terem crescido eles faziam parte deste grupo de pessoas especiais, só não obtiveram sucesso maior por que não sonhavam em tentar mais.

Filho de peixe peixinho é!

Estas pessoas começaram a ter filhos (a geração Y) e acreditavam que por serem pessoas especiais, seus filhos também eram e como a única coisa que os impediam de crescer eram suas baixas expectativas (sonhos vs realidade), passaram a ensinar seus filhos que estes eram especiais e poderiam sonhar qualquer coisa que iriam conseguir de uma maneira ou de outra.

Papai, os tempos mudaram!

Agora os filhos estão crescendo e acontece que a globalização já estourou e todos os postos foram tomados e as minhas expectativas de me tornar o super-homem não foram alcançadas!

Os pais foram educados para o fracasso e foram bem sucedidos, os filhos foram educados para o sucesso e por isso no primeiro fracasso a casa cai!

Se você nasceu depois de 1970, provavelmente, quando você era (ou é) adolescente suas expectativas eram de ser o maior empresário do mundo, ou a pessoa mais famosa do mundo, ou em fim, alguém muito, mas muito especial.

Se você já cresceu bastantinho agora você deve estar decepcionado, achando que você é incompetente, talvez já tenha estragado muito mais coisas na sua vida do que somente a sua carreira. E o pior, você acha que só você está nesta situação, que todas as outras pessoas estão super bem e felizes.

Primeiro gostaria de te contar um segredo, assim como você, todos os seus colegas da escola também cresceram com grandes expectativas e por isso quando eles vão publicar nas redes sociais, ou quando vão conversar sobre sucesso eles falam que está tudo ótimo, só postam as vitórias, mas na realidade eles provavelmente estão na mesma situação que você ou pior.

 

Consequências

Além da decepção, do stress e da depressão que o jovem sente por causa de suas frustrações, há outras consequências. Com um pouco de conhecimento em PNL medimos a consequência da introjeção da informação que você é o melhor, então mesmo tendo se frustado e sofrido as consequências, seu subconsciente ainda te julga como o melhor do mundo.

Aí você se separa de seu conjugue por que você é melhor, você deixa seu bom emprego para falir uma nova empresa por que você é melhor que seu chefe, na adolescência você já havia brigado com seus pais e fugido de casa, por que você é melhor que seus pais, você briga no trânsito por que você é o melhor motorista, você não vai no médico por que você é melhor que ele para se medicar, você não cuida da sua saúde por que seu organismo é o melhor, você não respeita o vendedor da loja por que você é melhor, você até vira ateu, agnóstico ou cria uma nova religião por que você é melhor do que Deus e todos que vieram antes de você.

Houve um tempo em que quem pensava que era o melhor era chamado de arrogante, hoje quem pensa que é o melhor é chamado de ser humano.

 

O que fazer?

Saber desta realidade é um ótimo primeiro passo, este post trás apenas uma casquinha do assunto, estudar e pensar mais a respeito seria uma ótima idéia!

Na prática desconstrua esta idéia de que você é o melhor do mundo, que você é mais do que as outras pessoas, comece imediatamente a aceitar as outras pessoas como valiosas, tão valiosas quanto você mesmo.

Depois entenda que você é competente, capaz de ser bem sucedido, de alcançar grande feitos, mas estas coisas dependem de esforço, de batalha, de busca, e principalmente da ajuda dos outros. Você não conseguirá nada sozinho! Ninguém nunca conseguiu. E vou agora reforçar esta frase: NINGUÉM NUNCA CONSEGUIU NADA SOZINHO.

Você é bom, você é grande, você é competente, você é poderoso, mas não é melhor, as outras pessoas também são boas, grandes, competentes e poderosas. Umas mais, outras menos, uma de uma maneira, outras de outra maneira.

Comece a buscar a sua felicidade e a se contentar com as pequenas coisas que alcança, não espere alcançar seus objetivos para ser feliz, a felicidade está em buscar algo, não em alcançar!

Então não busque a felicidade, mas seja feliz por buscar algo.

Aceite a ajuda das pessoas e ajude elas. Zig Ziglar disse que você só pode alcançar seu sucesso se você ajudar outras pessoas a alcançarem o sucesso delas.

 

Paz e bem!

Compartilhe este conteúdo: